segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal 2012



para os meus amiguinhos:






sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

22 dezembro 2012




A partir de amanhã vai ser assim:



uma confusão... :)





domingo, 16 de dezembro de 2012

Riscas, nova amiguinha

Esta é a minha nova amiguinha Riscas, "filha" da Inês,
muito bonita, nao é?





terça-feira, 4 de dezembro de 2012

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

sábado, 13 de outubro de 2012

Parabens Nany!!! 2012




(espero que me tragas uma sardinha logo...)



quinta-feira, 27 de setembro de 2012

jacquie lawson - postais

*retrato animado*
http://www.jacquielawson.com/viewcard.asp?code=1560479383964&source=jl999

*a florista*
http://www.jacquielawson.com/preview.asp?cont=1&hdn=12&pv=3139986&path=83534

*a mosca*
http://www.jacquielawson.com/preview.asp?cont=1&hdn=0&pv=3111895&path=83534

*medalha de ouro*
http://www.jacquielawson.com/preview.asp?cont=1&hdn=11&pv=3338681&path=83534

*jogo*
http://www.jacquielawson.com/preview.asp?cont=1&hdn=0&pv=3111905&path=83534



podem ver mais no site:
*https://www.jacquielawson.com/*



domingo, 16 de setembro de 2012

domingo, 12 de agosto de 2012

Garfield, meu herói...

Quem quizer estes dois alphas completos basta pedir, envio por mail:



quarta-feira, 25 de julho de 2012

quinta-feira, 21 de junho de 2012

domingo, 6 de maio de 2012

domingo, 15 de abril de 2012

parabens Taruca 2012!!!




*presentinho para os amigos*



















domingo, 8 de abril de 2012

Pascoa - 2012








presentinho que recebi da amiguinha KIKA




obrigada pelo carinho


quarta-feira, 28 de março de 2012

Gato não é cão...


Especialista esclarece os sinais que demonstram a afetuosidade dos gatos, pois eles são tão carinhosos quanto os cães.
Muitas pessoas ainda insistem, de forma equivocada, em comparar o temperamento de gatos e cães.
Nessa “disputa” desleal, os felinos muitas vezes “perdem” e acabam sendo apontados como individualistas, traiçoeiros e insensíveis.
Essa visão distorcida é resultado da interpretação errada dos sinais e das demonstrações de afetuosidade dos gatos, conforme esclarece a Dra. Elaine Pessuto, médica veterinária e diretora do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária. “Infelizmente quem nunca teve gatos tem esse hábito, ao comparar a pessoa acaba caindo no erro de achar que gatos são insensíveis ou até mesmo traiçoeiros, pois não conseguem perceber as demonstrações de incômodo ou mesmo de felicidade desses animais”, salienta a médica.
Todas as pessoas, mesmo as que não convivem com cães, sabem identificar quando os cães estão felizes: eles abanam o rabo. Mas como sabemos quando os gatos estão felizes? Esse desconhecimento faz com que os felinos sejam incompreendidos.
“Os gatos expressam satisfação através de um barulho semelhante a um ronco leve, esse movimento chega até a vibrar sua garganta e tórax, levando as pessoas leigas a acreditarem que ele possa estar doente, com asma ou pneumonia. Esse movimento é chamado ronronar”, esclarece a Dra. Elaine.
Ainda de acordo com a especialista outra forma do felino demonstrar sua felicidade com alguma coisa ou pessoa é se esfregar ou mesmo “amassar pão”, movimento constante feito com as patinhas. “Eles fazem isso, pois possuem glândulas na região da boca e da mão; essas glândulas deixam uma secreção nos objetos e nas pessoas que eles gostam, um sinal de dizer que ‘isso’ é adorado por eles e conseqüentemente deles”, explica.
Outra peculiaridade é a forma como sinalizam sua insatisfação com determinada situação. “Ele pode demonstrar insatisfação movimentando suas orelhas para trás, elas são verdadeiros termômetros de humor, quanto mais para trás maior é a insatisfação. Outra forma de mostrar chateação é através da cauda, com um movimento ritmado como se ele orquestrasse, e a velocidade desse movimento pode ficar cada vez rápida se o que o incomoda persistir”, destaca.
Segundo a médica veterinária os gatos são extremamente participativos e comunicativos, além de serem sociáveis com pessoas e outros animais.
Assim como os cães, eles também precisam de atenção e carinho. “Tudo depende de como eles são criados. Devemos manter o vínculo de carinho e proteção. Nada de deixar os gatos saírem e não alimentá-los; pires de leite de vez em quando não é dieta balanceada para gatos, fora a necessidade de castração e de manter o animal sem sair. Carinho e alimento irão manter qualquer animal bem feliz junto ao seu dono”, orienta Dra. Elaine Pessuto.
Embora carinhosos, os gatos são animais que conseguem manter uma certa independência, o que a maioria dos cães não consegue. Os gatos, quando ligados emocionalmente, encaram seus proprietários como ‘pais’.
E para aquelas pessoas, que por desconhecimento, ainda insistem em dizer que os gatos não gostam de carinho, a médica veterinária reforça: “O gato adora carinho e também sabe dar carinho, a maneira como eles fazem é que é diferente. Quando eles esfregam o focinho e o rosto nas pessoas eles estão esfregando suas glândulas oronasais e molares e eles só fazem isso em pessoas ou objetos que eles adoram. Isso para os gatos é carinho”




quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Gato num apartamento vazio


Morrer não é coisa que se faça a um gato.
Que há-de um gato fazer
num apartamento vazio?
Subir às paredes?
Roçar-se nos móveis?
Aparentemente não mudou nada
e no entanto está tudo mudado.
Continua tudo no seu lugar
e no entanto está tudo fora do sítio.
E à noite a lâmpada já não está acesa.

Ouvem-se passos nas escadas,
mas não são os mesmos.
A mão que põe o peixe no prato
também já não é a que o punha.

Há aqui qualquer coisa que já não começa
à hora do costume,
qualquer coisa que não se passa
como deveria passar-se.
Havia aqui alguém que há muito estava e estava
e que de repente desapareceu
e agora insistentemente não está.

Procurou-se em todos os armários,
revistaram-se as estantes,
espreitou-se para debaixo do tapete.
Violou-se até a proibição
de desarrumar os papéis.
Que mais se pode fazer?
Dormir e esperar.

Quando regressar, ele vai ver,
ele vai ver quando chegar.
Vai ficar a saber
que isto não é coisa que se faça a um gato.
Caminhar-se-á em direcção a ele
como que contrariado,
devarinho,
com patas amuadas.
E nada de saltos ou mios. Pelo menos ao princípio.

(Wislawa Szymborska)
Kórnik, 1923 — Cracóvia, 2012
*traduçao do poeta Manuel António Pina*