quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Gato num apartamento vazio


Morrer não é coisa que se faça a um gato.
Que há-de um gato fazer
num apartamento vazio?
Subir às paredes?
Roçar-se nos móveis?
Aparentemente não mudou nada
e no entanto está tudo mudado.
Continua tudo no seu lugar
e no entanto está tudo fora do sítio.
E à noite a lâmpada já não está acesa.

Ouvem-se passos nas escadas,
mas não são os mesmos.
A mão que põe o peixe no prato
também já não é a que o punha.

Há aqui qualquer coisa que já não começa
à hora do costume,
qualquer coisa que não se passa
como deveria passar-se.
Havia aqui alguém que há muito estava e estava
e que de repente desapareceu
e agora insistentemente não está.

Procurou-se em todos os armários,
revistaram-se as estantes,
espreitou-se para debaixo do tapete.
Violou-se até a proibição
de desarrumar os papéis.
Que mais se pode fazer?
Dormir e esperar.

Quando regressar, ele vai ver,
ele vai ver quando chegar.
Vai ficar a saber
que isto não é coisa que se faça a um gato.
Caminhar-se-á em direcção a ele
como que contrariado,
devarinho,
com patas amuadas.
E nada de saltos ou mios. Pelo menos ao princípio.

(Wislawa Szymborska)
Kórnik, 1923 — Cracóvia, 2012
*traduçao do poeta Manuel António Pina*






3 comentários:

GRAÇA disse...

Taruca a fetografia para o sorteio,nem que tenha que escrever isto todas as semanas até me mandares a fotografia ,amiga ,que se passa contigo ...anda brincar!!!
Turrinhas da amiguinha que gosta muito de ti
Kika

GRAÇA disse...

Sei que venho atrasada mas ontem foi um dia muito complicado para a mami
Teve que fazer a minha postagem
Morreu uma amiga da mami, já não deu para te vir desejar um bom dia do amigo ,que tens sido
Obrigada
Turrinhas carinhosa da amiga
Kika♥♥♥

GRAÇA disse...

Estou esperando a tua fotografia para o sorteio "esconde esconde"
Venho deixar só um ronronzinho da amiga
Kika♥♥♥

Enviar um comentário